segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Batismo pelos mortos

BATISMO PELOS MORTOS I Coríntios 15:29
“Doutra maneira, que farão os que se batizam pelos mortos, se absolutamente os mortos não ressuscitam? Por que se
batizam eles então pelos mortos?”
Meu caro irmão, retirar este versículo da Bíblia, isolá-lo do contexto, esquecendo a maneira correta de se estudar as
Escrituras, o crente entra em colapso total.
Não há dúvidas que a exegese para este texto terá que ser muitíssimo meticulosa, exigindo cavar fundo, pesquisa, muita oração, pois que, isolado como está, sugere o seguinte:
• Existia batismo pelos mortos, entre os cristãos primitivos!?
• Não há ressurreição dos remidos!?
• A enfática, patética e suposta conformação indagatória de Paulo ao dizer: “Por que se batizam eles então pelos mortos?”, deixa antever a necessidade de tal prática?
Isolar um versículo, não compará-lo como diz a Bíblia, poderá levar a pessoa aos caminhos preconizados pelo pregador como “caminhos de morte”.
Afinal, o que queria ensinar Paulo? Esta é uma das passagens mais difíceis da lavra paulina, e não há ainda uma explicação satisfatória, embora muitos comentaristas de peso, famosos exegetas, PHD’s e doutores em religião, já hajam apresentado diversas interpretações, como por exemplo J.W.Horsley, Newbery House Magazine (Junho de 1890), que alinhou nada menos que 36 diferentes explanações a respeito; todavia, a “maioria delas pouca atenção teve, e algumas poucas merecem séria atenção”.
O que tem relevância no texto é que este tema, que tem provocado intensa polêmica entre os comentaristas bíblicos, é um texto isolado no Novo Testamento, pois só aparece neste ponto e em nenhum lugar mais. Daí a premissa que entrou na discussão de Paulo acidentalmente, numa igreja cheia de acidentes: Corinto.
Outrossim, consultando o contexto e o discorrer do pensamento desenvolvido por Paulo, iremos descobrir que o tema central do capítulo quinze de I Coríntios é a ressurreição.
Logicamente, este verso, por força de tal circunstância, deverá ser interpretado tendo sua base nesta doutrina.
Diz a história que os pais da igreja mencionavam haver no princípio um costume herético em que os cristãos vivos eram batizados em favor dos mortos, amigos ou parentes não batizados. Assim, ao praticar tal ato, pensavam que os tais seriam salvos como que por procuração. Crisóstomo, por exemplo, explica como esse ritual era praticado em seu tempo: “Depois que um catecúmeno (alguém que ainda não fora batizado, mas que já estava preparado para o batismo) falecia,
punham um homem vivo oculto debaixo de seu leito; então, aproximando-se do leito do morto, falavam com ele e indagavam se ele queria receber o batismo. Não dando ele resposta, o outro respondia em seu lugar.
Assim batizavam ‘o vivo pelo morto.’” – O Novo Testamento Interpretado Versículo por Versículo, vol. 4, pág. 256, Russel Norman Champlin. Paulo ao se referir a esse costume não queria jamais ensinar ou abonar a idéia de que esse ritual é sancionado ou admitido por Deus. Na verdade aquelas pessoas praticavam essa cerimônia porque criam na ressurreição, pois se assim não fora, porque haveriam de praticá-la já que seus parentes e amigos não se beneficiariam dela?
Assim sendo, Paulo, longe de endossar essa prática para financiar ou apoiar uma doutrina cristã, simplesmente afirma que, se os próprios pagãos têm esperança na ressurreição, quanto mais nós, cristãos esclarecidos, deveríamos amá-la, preparando-nos para a primeira, caso não estejamos vivos por ocasião do regresso do Senhor.
A Bíblia não ensina em nenhum lugar que o cristão pode ser batizado em favor de terceiros, seja amigo ou parente. Ela ensina, e apela sim, a que o homem creia no Sacrifício de Jesus, aceite-o como Salvador, e, batizando-se está apto à eternidade, pois que, com a morte, cessam todas as oportunidades.
Mas graças a Deus que, os que já dormiram no Senhor, ressuscitarão para habitar a Terra Renovada.
Abraço!!!

12 comentários:

  1. sabe nada hein, quando vc morrer alguém vai se batizar por vc com o verdadeiro batismo e com a verdadeira autoridade para tal. Até logo!

    ResponderExcluir
  2. Ressi almeida dos Santos26 de junho de 2010 20:41

    Sem querer discutir retórica ou qualquer outro argumento linguístico, faço uma pergunta. Jesus disse:Aquele que não nascer da àgua e do espírito não pode entrar no reino de Deus ( joão 3:5 ), Como pode nascer da água e do espírito alguém que nunca ouviu falar que existe essa prática. vamos dizer, os povos ingígenas, por exemplo, que morreram sem ouvir o evangelho de jesus cristo, merecem ser condenadas só porque não tiveram a oportunidade de serem batizadas, ou seja nascer da agua e do espírito? Ou vamos dizer aqui como é costume de muitos leitores da Bíblia que jesus estava usando uma figura de retórica quando falou que todos tem de nascer da agua e do espírito. Pra mim só tem uma explicação, aqueles que não tiveram oportunidade de ouvir o evangelho nessa vida, vão ouvir no mundo espiritual e nós aqui na terra iremos realizar o batismo em nome e a favor dele. Agora, se ele vai aceitar ou rejeitar o batismo, não nos compete decidir.

    ResponderExcluir
  3. É muito complicado utilizar esse texto como uma doutrina cristã. Paulo Faz questionamentos se referindo a crença de muitos na ressurreição e como eles agiam mediante essa crença. Agora se basear nessa doutrina de batismo pelos mortos fere os ensinamentos do Mestre. Quantos aos mortos na ignorancia sem terem ouvido falar do Senhor, serão julgados de maneira diferente daqueles que conheceram e não deram crédito. Deus é Sábio e Justo e por mais que tentemos explicar algumas passagens difíceis de entender, precisamos ter o cuidado de buscar a orientação do Espírito Santo, pois os pensamentos Dele são mais altos que os nossos e muitas respostas ficarão para a eternidade. cabe a nós procurarmos levar o Evangelho a toda criatura e saber que Deus está no controle de tudo.

    ResponderExcluir
  4. Na minha opniao cada um deveria cuidar da sua crença sem atacar a dos outros pois em muitas igrejas costuma-se cuidar da vida dos pastores e membros de outra e esquecem de cuidar da propria.Será que foi isso que Jesus ensinou?Lembrem_se que a verdadeira religiao é visitar os orfaos e as viuvas e assistir os pobres na sua dificuldade!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Aos indigenas foi anunciado o evangelho,porém,de maneira errada se esqueceu da primeira missa no brasil.

    ResponderExcluir
  6. visitar os orfãos e viuvas não basta, temos que cuidar dos nescessitados e aflitos, doentes e cansados, dar nosso ombro amigo a quem precise, pregar o evangelho a quem quer ouvir, ensinar o que Cristo ensinou, e batizar os nossos entes queridos para que possam ter a oportunidade de ouvir o evangelho de Jesus Cristo, Cristo quando resssucitou visitou os mortos em cativeiros e pregou a eles la, entao significa que eles estao em um mundo espiritual esperando por nossas atitudes corretas de ensiná-los, batiza-los e esperar em Cristo a salvação de todos. Amém.

    ResponderExcluir
  7. ONDE NÃO HA LEI NÃO HA CONDENAÇÃO ;QUEM MORREU SEM LEI NÃO PODE SER JULGADO PELA LEI

    ResponderExcluir
  8. os que morreram sem a graça..Jesus foi ate eles e deu a noticia a eles

    ResponderExcluir
  9. A salvação é individual. Se alguém se batizar para salvar outro está tentando criar um atalho ou mesmo fantasiando um "purgatório", que não existe, para tentar resgatar os que já estão perdidos na eternidade!

    ResponderExcluir
  10. José Fernandez

    Ide de Jesus Cristo > Mc. 16: 15; Mt. 28: 18 - 20; Gl. 1: 8 - 9.

    Matheus registrou: a. E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no Céu e na Terra. b. Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. c. E, ensinando as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Isto significa que o idem de Cristo e a sua presença e a manifestação DELE até a consumação dos Séculos do Pai, Filho e Espírito Santo, é para os vivos e não aos mortos. Fora disso é Heresia e profanação; o Apostolo Paulo, adverte que se vier um anjo do céu com outro mandamento fora desse não o recebam que anátema é porque já muitos falsos mestres já tem se manifestado no meio de vós.

    ResponderExcluir
  11. Imaginem o tempo que estes "leitores da bíblia" gastam apenas e tão somente para atacarem outras religiões! Fazem curso de especialização só neste tópico, atacarem outras religiões! São hipócritas que não olham para o próprio argueiro em seus olhos e querem cuidar de religiões que nada sabem, nada conhecem, na aprenderam de bom sobre as mesmas.
    ESCOLHA A RELIGIÃO, PRINCIPIOS, DOUTRINAS QUE MAIS LHE CONVÉM, SIGA-A E, PELO AMOR DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO PAREM DE PERTUBAR AS OUTRAS RELIGIÕES. Sejam maduros, livre arbítrio é presente que DEUS deu a todo ser humano, respeitem a decisão de cada ser humano.

    ResponderExcluir
  12. Como Membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos dias, Acredito nesta doutrina, tenho experiências que testificam que alem do sentido, é verdade.
    Em I Pedro 3 Diz: 18 Pois também Cristo sofreu pelos pecados uma vez por todas, o justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus. Ele foi morto no corpo, mas vivificado pelo Espírito,
    19 no qual também foi e pregou aos espíritos em prisão
    20 que há muito tempo desobedeceram, quando Deus esperava pacientemente nos dias de Noé, enquanto a arca era construída. Nela apenas algumas pessoas, a saber, oito, foram salvas por meio da água,

    Por três dias nosso Senhor Jesus Cristo esteve Morto, esta escritura mostra onde ele esteve e o que Organizou, a maioria dos Cristãos e evangélicos chamam de Céu e Inferno, os Católicos de Paraíso e purgatório, e nós Santos dos últimos dias chamamos de Paraíso e Prisão. Esta escritura explica que os espíritos dos que morreram no dilúvio até ali estavam esperando o nosso Salvador.
    Outra escritura muito interessante é Em I Pedro 4 diz: 6 Por isso mesmo o evangelho foi pregado também a mortos, para que eles, mesmo julgados no corpo segundo os homens, vivam pelo Espírito segundo Deus.

    Com isso vemos claramente que existem muitas coisas ocultas nas escrituras, coisas que foram tiradas e outras modificadas, isso realmente cria duvidas, mais se esta doutrina fosse mais clara, muitas igrejas fariam esta ordenança pelos mortos da maneira errada, sem autoridade.
    Senhores, o paraíso e a prisão ainda não é o fim, o julgamento é depois disto.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...